Câmara de Taubaté inicia comemorações do folclore com homenagens


Quer algo mais folclórico do que uma viola? O artesanato de uma figureira de Taubaté? O “agardeço” sincero de um caipira? Nesta semana em que se comemora a cultura do povo, a Câmara de Taubaté homenageou personagens que a irradia em suas ações.
Durante solenidade realizada no Teatro Metrópole dia 22, na abertura da Semana Municipal do Folclore, a vereadora Gorete (DEM), oradora oficial em nome do Poder Legislativo, destacou a variedade das tradições mantidas em Taubaté, influenciadas pelas culturas indígena, branca e negra, de cunho religioso ou profano.
Há exemplos de moçambique, dança da fita, jongo, dança de São Gonçalo, quadrilha junina, presépios natalinos, folias de reis, os figureiros do bairro Imaculada, esculturas e pinturas e um rico trabalho de artesanato.
Há outros tipos de pessoas que, se não produzem tais artes, contribuem para a divulgação e solidificação daqueles que a fazem. É o exemplo do servidor público Silésio Francisco Tomé, fundador do Projeto Sertões de Taubaté, que leva turistas a conhecerem a zona rural, as propriedades campestres, sua produção e sua gente.
Gorete reconheceu Silésio como criador de um “importante projeto para fomentar o turismo rural, proporcionando as condições para a fixação do produtor rural no campo”, a despeito do êxodo rural.
O Sertões de Taubaté busca meios para promover o produtor rural, entre eles, parceria com instituições para capacitação dos produtores, de forma que eles possam melhorar suas condições e garantir a sustentabilidade, trabalhando exclusivamente com o que é produzido na sua propriedade.
Para incentivar as visitas à zona rural, o Sertões de Taubaté criou o circuito do turismo rural, com participação de 50 famílias. O turista tem oportunidade de conhecer as riquezas naturais que ainda são preservadas, bem como conviver com as comunidades locais e conhecer sua cultura e costumes.
Natural de Soledade (MG), Silésio se recordou de ouvir falar sobre Taubaté como a cidade de onde saíram os bandeirantes para fundar municípios mineiros. “Quem não passar por Taubaté nunca descobrirá cultura. É uma cidade que tem tudo: se você pensar na história da libertação do negro, Taubaté tem. Tropeirismo, tem. Bandeirantes, é a capital dos bandeirantes. Riqueza, em 1906, o município brigava com São Paulo para ser capital do estado. Em cultura, o mundo se rende às figureiras.”
Em seguida, a vereadora Gorete homenageou a figureira Ismênia Aparecida dos Santos, que desde os sete anos trabalha com a modelagem da argila – matéria-prima para confecção de figuras como o pavão ou a sagrada família.
Ismênia começou vendendo suas peças no Mercado Municipal em 1969. Atualmente, continua com o seu trabalho de figureira, tanto em sua residência quanto na Casa do Figureiro.
“Sinto-me muito honrada por ser figureira. Aprendi a arte com minha mãe, e é muito bom ser figureiro, porque quando chegamos a algum lugar somos reconhecidos. Agradeço muito a Deus, a meus pais e a todos que estão aqui.”
Violeiro
Durante a solenidade, o vereador Jessé Silva (SD) destacou a contribuição de violeiros para a cultura popular, entre eles, Pedro Emboava, o “Pedrinho Sertanejo”, Rosária de Fátima Correa da Silva e Audelho Augusto Correa, do “Duo Esperança”, e Gabriel Costa Medeiros.
Sobre Pedrinho Sertanejo, o vereador destacou que o violeiro coleciona 60 composições, CDs e dois DVDs, além de ser reconhecido como “o mais caipira do Vale”. Nascido em São Luiz do Paraitinga e criado na roça, aos 77 anos Pedrinho conserva modos simples no jeito e no linguajar, influenciados pela fé religiosa e cultura caipira.
“Primeiro quero agardece a Deus, Nossa Senhora, Espírito Santo, São Gonçalo, à (Secretaria de) Curtura, à Câmara, tudo vocês que fizeram esse trabalho. Os pessoar que fizeram essa comemoração pra mim, Deus vai dar recompensa. Parece que nem mereço isso tudo que fizeram pra mim. Agardece a minha família também”, disse Pedrinho.
O Duo Esperança é formado pelo casal Rosária de Fátima Correa da Silva, de Pindamonhangaba, e Audelho Augusto Correa, nascido em Lagoinha. Ele participou de trabalho musical com várias duplas, até o ano em que conheceu Rosária. Foi então que, em 1998, formaram a dupla e, a partir daí, participaram de festivais e eventos, gravando o primeiro CD em 2004.
“Agradecemos a todos de coração. A gente é tão caipira que nem sabe agradecer, mas com Deus em primeiro lugar vamos longe”, disse Audelho. “Eu me sinto honrada por termos sido escolhidos”, completou Rosária.
Gabriel Medeiros cantava desde os dois anos e, aos quatro, se apresentou pela primeira vez na televisão. Ao longo dos anos, participou de programas em diversas emissoras e em festivais de São Paulo, Minas Gerais e Paraná, chegando a ganhar o Prêmio Rozini de excelência da viola caipira em 2010.
“Estou muito feliz de receber essa homenagem, com todo esse pessoal que tem muitos anos de carreira. O folclore não é tão valorizado assim, e Taubaté está fazendo diferente! Valorizar esse pessoal é o caminho para colocar a cultura em evidência.”
O secretário municipal de Cultura, Márcio Carneiro, fechou a solenidade para abrir o próximo evento, uma apresentação musical do grupo Mawaca. “Tudo que faço não é sozinho, preciso de vocês, para que essa nova geração que tem se formado tome posse. Devemos parar de sentir vergonha de tomar posse de nossa cultura.”

Participaram da solenidade os vereadores Dentinho (PV), Loreny (PPS) e o suplente José Benedito Fião (PSDB)

por Carla Tavares mtb.7244/SP
#OJORNALGRANDEVALE

Comentários

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *