A REGRA DOS 6 “NEM´s” – Uma Visão da Modelagem da PNL



Recentemente estava lendo uma charge da revista “VOCÊ S.A.®”, chamada “BATENTE®”, que me
chamou a atenção. Ela falava de como as pessoas perseguem o sucesso a “sua maneira”. Achei muito
interessante o mesmo, e comecei a escrever um pouco a respeito e acabou saindo este artigo, que divido
com vocês.
Bem, ... após interagir por muitos anos nesta área, uma certeza que tenho, é que o “SUCESSO” na realidade é
algo muito pessoal, e isto quer dizer muita coisa, pois define exatamente que o que eu imagino que “É
SUCESSO” para mim, não necessária mente carrega o mesmo significado para você, ou para outras pessoas,
mas independente disto e inquestionavelmente, nós o perseguimos por toda a nossa vida, outrossim, não
estaríamos constantemente buscando novos desafios ou horizontes, tanto pessoais quanto profissionais, e
assim, uns mais outros menos, todos buscam atingir o tão sonhado “sucesso”.
Existem pessoas que buscam o sucesso com tanto esmero, e afinco, que a simples menção do “não atingir”,
as fazem contorcerem-se de dor, isto é real, e pelo fato, de este projeto ter sido gravado de tal forma, intensa e
indelével, em suas mentes, que as fazem sofrer, são aquelas pessoas que não aceitam o “não” como
resposta, para um determinado projeto de vida.
Outras nem tanto desta forma, nem nesta intensidade, mas que ainda assim as fazem sentirem-se mal com
elas mesmas, pelo seu não atingimento, ou por ter que desistir de um objetivo marcado e muitas vezes
acabam fazendo outras coisas que as deixam em uma posição não tão invejável, mas de um relativo bem
sucedido objetivo.
Entretanto existem pessoas de tal forma conformadas, que sempre encontram uma justificativa pelo seu não
atingimento de metas e objetivos, traçados, para conquistarem seu sucesso, e, por conseguinte, acabam
“empurrando” seu atingimento para depois, ...depois, e finalmente, ...depois.
Bem, ...se tem outra coisa que eu aprendi nestes anos, foi também que a grande maioria, esmagadora, deste
tipo de pessoas, na condescendência de seus atos, elas estarão sempre reclamando que não “tem sorte” na
vida, de que nada dá certo para elas e de que o mundo é ingrato e só favorecem a outros.
As regras do sucesso são claras e está à disposição de todos, e é conhecida como uma metodologia chamada
“MODELAGEM” apresentada por R.Bandler e J.Grinder na PNL – PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA,
nos anos 70, que nos da uma forma muito própria e interessante de atingirmos o sucesso, ou qualquer objetivo
que nos foquemos. Lembram-se?...isto já será o sucesso para alguns.
Para sua estruturação, eles utilizaram como modelo de sucesso, pessoas como, Virginia Satir (terapeuta
familiar), Milton Erickson (médico psiquiatra e hipnoterapeuta), Gregory Bateson (antropólogo especialista em
cibernética) e Fritz Perls (pai da Gestalterapia), que apresentavam resultados muito interessantes e
diferenciados dos que qualquer outro profissional de sua área.
Assim, Bandler e Grinder, desenvolveram Técnicas e Procedimentos rápidos, que geram Transformações
Profundas e Duráveis nas pessoas, estudando o “Funcionamento do Cérebro” e as formas como elas pensam,
sentem e se comunicam, com os outros e principalmente consigo mesma, que as ajudam a moldarem seus
pensamentos, atitudes e comportamentos, como as “Pessoas bem Sucedidas” o fazem, que os levarão aos
mesmos resultados, desenvolvendo nelas a manutenção do foco em busca de seu “Sucesso Pessoal”.
Com a utilização adequada da PNL é possível auxiliar a você a trabalhar seus comportamentos e atitudes,
auxiliando a você na correção dos pontos que necessitam ser corrigidos, e por outro lado, aumentando a
performance do pontos fortes que você já possui.
Ela ainda auxilia a você ampliar sua capacidade de persuasão, melhora a percepção da realidade, gera maior
confiabilidade para a execução de tarefas, e desenvolve estruturas para melhorar suas capacidades
individuais em seus relacionamentos.
Como vemos a “formula” do sucesso já é de domínio público, mas se tudo isto existe, porque tão poucos
atingem o sucesso?
Bem, de acordo com pesquisas, informais, que se relacionam ao percentual de pessoas bem sucedidas,
encontramos uma relação muito interessante e que é quase sempre constante no mundo todo, que é: 95:4:1,
ou seja:
I- 95% - das pessoas após sua aposentadoria irá depender e viver de ajuda de seus familiares e dos
benefícios do estado;
II- 4% - estarão em uma situação o suficiente para pagar suas necessidades e suas contas, sem as benesses
do estado nem dependendo da família;
III- 1% - serão aquelas que estarão realmente com uma estrutura que lhes darão o suficiente para viverem
confortavelmente pelo resto de suas vidas, e sem depender de nada nem ninguém, a não ser de seus próprios
meios, e poderão aproveitar os 50 anos restantes do “Resto de suas Vidas”, são os chamados “Independentes
Financeiramente”.
O interessante é que todas estas análises sempre nos remetem a três faixas de pessoas:
1- As que estão Preparadas e assumem responsabilidade por seus objetivos e sonhos, chamadas de
Proativas;
2- As que estão em um estado de indecisão, até fazem planos, mas não os leva a frente, estão no Compasso
de Espera, e, portanto em Contemplação;
3- As Indiferentes, que não tomam decisão alguma para seu crescimento e tem a certeza de que não precisam
de nada, estas estão em constante estado de Procrastinação.
As primeiras, tudo o que pensam ou fazem tem um sentido de urgência, e está alinhado com suas metas e
objetivos traçados, são extremamente focados e trabalham diligentemente em direção as suas realizações
tanto pessoais quanto profissionais, e se são empresários, à sua empresa.
São extremamente perseverantes e não interrompem o processo até que o resultado seja atingido ou,
encontrado novas e melhores formas de fazê-lo, estes estarão no grupo dos 1% mencionado acima.
Existe um subgrupo, nesta categoria, que é o intermediário entre o 1% e o 4%, que não podemos dizer que
não querem ter sucesso em suas empreitadas, eles até querem, mas falta algo para que eles se afirmem no
primeiro grupo.
Eles estão constantemente parando e reiniciando seu trabalho, provocando um “Efeito Sanfona”, que é aquele
que ocorre quando por algum motivo de necessidade maior, é interrompido o processo, e com isto perde-se
não o foco, mas o “MOMENTUM” da fase, e com isto há um arrefecimento nos resultados, o que irá se
traduzido em novo início e novas situações, que poderão até culminar com a interrupção do processo, e, por
conseguinte o não atingimento do objetivo.
Este grupo possui todas as características para estar no 1º grupo, e tem até mesmo certa carga de
perseverança e doutrina de empreendedorismo, que os fazem conquistar muitas vezes postos e posições
interessantes às vezes importantes ou diferenciais, mas não o suficiente para enquadrá-los no grupo dos 1%,
está quase, falta apenas, muitas vezes, o estabelecimento de alguns critérios a serem observados, tais como:
- Escala de Prioridades;
- Planejamento;
- Organização;
- Foco;
- Definição de Propósito, Visão e Valores tanto Pessoais quanto da Empresa, se for o caso;
- E por último, mas não menos importante, e eu diria que é até mesmo o principal, e que faz toda a diferença
para ser guindado a este seleto grupo, a “VONTADE DE SER”, que é o que impulsionam a estarem sempre
em prontidão para tentar algo novo para ir em direção ao seu objetivo ou objetivos finais e a de “PAGAR O
PREÇO”, pelo sucesso.
A este grupo, caso eles se mantenham neste foco e consigam solucionar os itens acima, e por estarem
sempre em busca e “tentando” vencer, conseguem conquistar, como mencionado, algum resultado, que os
permita a chegar no 1%, mas ao contrário, caso não consigam atender o que foi estabelecido, apresenta uma
tendência a ficarem no segundo grupo, os dos 4%.
Eu diria até, que estes, os dos 4%, se comportam exatamente como a charge que emoldura nosso artigo, pois
apresentam uma tendência de tentar fazer algo da sua maneira e não como precisa ser feito para o
atingimento dos objetivos necessários ao seu sucesso.
Na realidade estes estão sempre se Auto-sabotando e tentando encontrar uma justificativa para o seu
“Insucesso”, mas nunca mudando realmente sua maneira de pensar e agir para alcançá-lo, em uma metáfora,
poderia dizer que eles ficam esperando o Sucesso vir até eles, e não entenderam que, "nós", é que
precisamos ir ao encontro do nosso “SUCESSO”.
E para finalizar nossa análise, temos o terceiro e último grupo, onde se encontram 95% das pessoas, e
infelizmente por mais que tentemos induzi-las a irem a um novo patamar em suas vidas, elas se encontram em
tal estágio de inércia, que se recusam a dar um passo a frente para sua decisão de “MUDAR”.
Esta é talvez a palavra chave, mudar, pois isto leva a uma nova dinâmica em nossa mente e, por conseguinte
a uma nova maneira de ser e agir, e é aí que entra algo que para muitas pessoas torna-se uma barreira, o
“MEDO” ou o “DESCONFORTO”, e aqui precisamos abri um parêntesis, vamos falar a respeito do medo,
depois abordaremos o segundo.
Na realidade existem dois tipos de medo, o “Medo Sadio”, e o “Medo Paralisante”, eé importante que eu saiba
qual dos dois eu estou sob foco, pois isso fará toda a diferença e existem algumas indicações que podemos
encontrar, que podem nos fazer entender como funciona em nossa mente, e sob qual dos dois eu estou
operando.
Medo Sadio
O medo sadio é aquele que lhe traz uma tranquilidade, pois você está no controle, e ele sob seu domínio, ele é
algo necessário para sua sobrevivência, para sua continuidade, este medo existe para que você possa refletir
sobre o que está acontecendo e analisar de uma forma “RACIONAL” todos os aspectos da “contenda” e levar
a você a tomar a melhor, ou a mais indicada das soluções, para o momento, fortalecendo ainda mais seus atos
e respostas a situações, e como podemos ver, "não impede de você dar continuidade aos seus projetos e
por conseguinte a sua vida".
Medo Paralisante
Por outro lado, o medo paralisante, é aquele que te bloqueia, suas respostas são puramente “EMOCIONAIS”,
na realidade ele te impede de tomar decisões em um contexto “mais” racional, pois a sua análise dos fatos,
fica completamente comprometida, e faz muitas vezes você entrar em “PANICO”, pelo simples fato de querer
tentar, algo que não esteja sob seu controle, em uma forma organizada, contextualizada e analítica, o que te
leva a ficar no mesmo patamar sempre, que é o seu ponto de “SEGURANÇA”, te impedindo de dar
continuidade a qualquer coisa que seja “NOVO”, por essa paralisia de analisar sob outro ângulo ou ponto de
vista muito mais estruturado.
Na realidade o medo é a insegurança do futuro, é o desconhecimento de algo que você não sabe que virá, é a
possibilidade de você perder o controle de algo que hoje você domina, e isto em todas as situações de sua
vida, e está diretamente relacionada à sua “SOBREVIVÊNCIA”.
Assim é fácil entender o porquê muitas pessoas adiam sua tomada de decisão para assumir seu lugar junto ao
sucesso, pois quando falamos de medo, muitas vezes ele é o responsável para que a pessoa permaneça no
“grupo 3”, por "segurança", para o resto da sua vida.
Entretanto, se por algum “Processo Interno” ou “LUZ” esta pessoa decide sair deste estágio, poderemos ter um
sério candidato ao “grupo 2” ou até mesmo ao “grupo 1”, e isto é conseguido pela utilização de contínuos
trabalho de reforço, que poderemos desenvolver utilizando-se do auxílio de “Técnicas de Coaching, PNL,
Psicocibernética, Hipnose ou Mentoring”, e isto, diga-se de passagem, deve ser mencionado, existem
momentos na vida de uma pessoa, que ela como que movida por uma "chave", um processo interno de
necessidade, muda radicalmente sua postura e atitude, e passa a buscar quase que "freneticamente" algo que
a ajude a "mudar", e é exatamente neste ponto, que ela começa a sair da sua “ZONA DE CONFORTO”, e
inicia sua jornada para algo maior, que poderá ser até mesmo seu acesso aos grupos "2 ou 1", e é exatamente
por isso que não podemos estabelecer um “RÓTULO” para as pessoas, e que as definamos como sendo
pessoas do grupo 1, 2 ou 3, mas sim , que elas estão nos grupo 1,2 ou 3, e que a qualquer momento que
decidam jogar o jogo do Sucesso, sempre terão a possibilidade de vencer round a round.
Entretanto a grande maioria das pessoas não está nesta situação, elas na realidade encontram-se em um
estagio de “PROCRASTINAÇÃO” e é aqui que precisamos entender os “vários” porquês, que as levam a
permanecer ali até o final de seus dias.
Uma das possibilidades que apontamos, é a sua já conhecida, "Zona de Conforto", é a eterna “MENSAGEM
SUBLIMINAR”, que mandamos para nosso cérebro, onde dizemos: “TÁ RUIM, MAS TÁ BOM”, ou “TÁ RUIM,
MAS PODIA TÁ PIOR”, ou ainda, “TÁ RUIM, MAS TEM GENTE PIOR”, em suma eu poderia ficar por aqui
falando inúmeras desculpas “esfarrapadas” que este “grupo” costuma dizer para elas mesmas a vinda inteira,
só para justificar a sua “preguiça” de sair dessa sua zona de conforto.
É o achar que as cervejinhas de sexta, sábado e domingo, são intocáveis, o futebol das 2ªs, 4ªs e 6ªs, são
insubstituíveis, que as novelas das 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11 hrs e depois ainda o BBB, jamais poderão ser trocados
pelos seus projetos de vida, pois já trabalham de 2ª a 6ª todas as semanas, e não tem tempo para pensar em
mais nada, pois “ninguém é de ferro”, e estão muito cansados para fazerem algo diferente, "A MAIS", e
precisam recarregar as baterias nas "baladas" ou nos “happy hour”, todas as semanas, todos os meses, o ano
inteiro, de toda a sua vida.
E aqui, comento que não estamos dizendo para que você deixe de fazer estas coisas, até porque se faz
necessário, para podermos dar continuidade aos nossos planos de futuro, tanto o corpo quanto a mente,
necessitam de momentos de extravasar suas ansiedades.
O que não podemos, é tentar nos enganar e achar que “só” fazendo isto, estamos atendendo as
necessidades, em ambos os casos, temos que ter algumas prioridades na vida, e é claro, que você não pode
querer ter o “sucesso como foco”, colocando estes itens em “prioridade 1” na sua vida, há que ser feita uma
perfeita análise para definição do que é realmente NECESSÁRIO, IMPORTANTE e “NICE TO HAVE” para
você.
NECESSÁRIO: É algo que você não pode viver sem, é sua “PRIORIDADE ZERO”, é algo como o “AR” que
respiramos, simplesmente não podemos viver nem um minuto sem ele.
IMPORTANTE: É tudo o que você precisa para fazer acontecer, mas se não tiver, poderá ficar sem ele por um
tempo, ou ainda poderá substituir por algo em seu lugar, seriam os “ALIMENTOS e ÁGUA”, podemos passar
até dias sem eles, mas se não os tivemos também não poderemos viver.
“NICE TO HAVE”: Este não faz a menor falta para conquistarmos nossos objetivos, se tivermos será mais
“LEGAL TER”, porém totalmente desnecessário como o “CHOCOLATE”, para sua alimentação, é gostoso, até
vicia – são os CHOCÓLATRAS, e por isto atrapalham, mas não contam os verdadeiros pontos para o
“sucesso”.
E com isto chegamos aos “PRAZERES IMEDIATOS”, aqueles que seu cérebro, exige de você, pois é de ação
de curto prazo, e que você terá que estar continuamente, repondo, este “nível prazer” sob pena de se sentir
vazio, e em carência existencial, as sensações são semelhantes ao prazer obtido pelas “drogas”, você não
pode viver sem por muito tempo, a não ser que decida por algo diferente, e é aí que reside a dificuldade de um
"Pensamento Racional".
Este tipo de pensamento, por ser de uma análise superficial e puramente “emocional”, nos leva a dar
continuidade em um “looping”, até que algo nos faça sair deste estágio de “procrastinação”, o que muitos não
fazem por toda a vida, pois não tem essa necessidade, nem vontade de “CRESCER” ou ter “SUCESSO”.
São os eternos conformados da vida, e tudo o que lhes acontece é “Azar” “Destino”, “Carma” ou “Estava
Escrito”, e aqui faço questão de não entrar no foco religioso, tenho convicção de que todos nós estamos neste
mundo para conquistarmos a “FELICIDADE”, independente de ideologia religiosa, as quais respeito a todas,
mas que muitas vezes as pessoas as utilizam para justificarem seus “medos” e “preguiça” para mudarem.
Mas para isto acontecer, existe uma máxima:
“ENQUANTO A DOR DE PERMANECER NO MESMO FOR MENOR QUE A DOR DE MUDAR, VOCÊ NÃO
MUDA”
Sim, porque nosso cérebro só é movido por dois processos: “DOR” e “PRAZER”, ou nós nos movemos para
evitar a DOR, ou nos movemos para obter o PRAZER.
Faz-me lembrar de uma história sobre uma pessoa que estava passando na rua, e viu em uma esquina, um
cachorro deitado ao lado de seu dono, e o coitado do cachorro, estava ganindo de tal forma dolorosa, que ele
não se conteve e perguntou ao seu dono, o que estava acontecendo e porque o cão estava naquele estado,
ao que o dono retrucou e disse que ele estava assim, pois estava deitado em cima de um prego.
Neste momento o rapaz ficou estarrecido e questionou ao dono, se ele estava assim, porque então que ele
não se levantava e saia de cima do prego, foi então que o domo respondeu:
“ELE NÃO SE LEVANTA PORQUE AINDA NÃO ESTÁ DOENDO MUITO.”
E assim, é uma grande maioria das pessoas, elas se encontram no mesmo lugar, insatisfeitas, e até mesmo
infelizes, mas são incapazes de fazer algo para mudarem seu futuro, encontram-se “CONFORMADAS” ou
“INDOLENTES”, com as tradicionais desculpas ou a racionalização do "porque" não "querem questionar" a sua
incapacidade de sair de sua zona de conforto.
Outro ponto a ser apresentado, é que tal como as pessoas do grupo 3, podem "se guindar" aos grupos 2 ou 1,
as pessoas do grupo 1, pode também se rebaixar, aos grupos 2 e 3, basta que deixem de fazer o que foi
"DEFINIDO" e "MODELADO" para o seu sucesso, e comecem a deixar os pensamentos dominantes se
focarem na tarefa e não na recompensa, que em um breve instante logo estarão sendo levados para as linhas
do 2 e 3 grupo, indistintamente do que já tenha feito até aqui, o que no leva assim a chegamos a conclusão,
que é um caminho de duas mãos, e que nunca poderemos esmorecer de nossas “METAS” e “VALORES”.
De todos estes pontos levantados, o que mais nos causa uma sensação de impotência, é que normalmente
pessoas do 1º e do 2º grupo, estão sempre querendo fazer as pessoas do 3º grupo, se movimentar para
buscar melhores posições na vida, seja pessoal ou profissional, e na grande e esmagadora maioria das vezes,
"estas pessoas", não são capazes de entender que "aquelas pessoas" estão querendo ajudar, passam a taxálas
de chatas, intrometidas (o que algumas realmente passam a ser) e se recusam a mudar, permanecendo no
mesmo lugar.
E é exatamente aqui, neste ponto, que nos remetemos ao título deste artigo, os 6 Nen´s, e eles nos dão o tom
do porque atingir o sucesso, é algo que requer uma vontade acima da média, uma tenacidade única, e eu diria,
até mesmo, uma certa dose de “SORTE”, que muitas vezes, nos faz estar no lugar certo, com as pessoas
certas, na hora certa, entretanto, gostaria de deixar claro, que até mesmo nesta constatação, entra em foco a
necessidade de estarmos preparados para a ocasião, pois é sabido que a sorte só ajuda a quem está em
busca de algo, e preparado para enxergar o que está lhe sendo apresentado.
É exatamente neste ponto que entram os estágios de "Proatividade", "Contemplação" ou "Procrastinação", que
nos levará a reagir quando nos encontramos a uma situação que nos é apresentada:
• Nem todo mundo que encontrar vai “Entender”
• Nem todo mundo que entender vai “Querer”
• Nem todo mundo que quiser vai “Fazer”
• Nem todo mundo que fizer vai “Gostar”
• Nem todo mundo que gostar vai “Continuar”
• Nem todo mundo que continuar vai “Ter Sucesso”
Assim como vemos, aquele que passar pelos “6 Portais do Sucesso”, terá uma grande possibilidade de atingilo,
mais cedo ou mais tarde, já que, não se esqueçam, a “CORAGEM”, de iniciar e continuar é prerrogativa de
poucos, e a “PERSEVERANÇA” é a que faz você atingir.
Muitas águas rolam debaixo da "ponte entre o "ENCONTRAR" e o "TER SUCESSO".
Portanto, tenha um “SONHO” tenha, “CORAGEM” para iniciá-lo e “PERCEVERANÇA” para atingi-lo, “RAZÃO”
para mantê-lo, e com certeza você terá muito “SUCESSO” e “FELICIDADE”, para desfrutá-lo pelo resto de sua
vida.
Frederico Leal - Master Coach, Master em PNL, Master em OE, MBA em Liderança e Trainer para Formação
em Liderança, Coaching e PNL.
Trabalha junto a Empresas, Profissionais e Pessoas em geral para Melhoria de Performance, Aumento de
Produtividade e Redução de Custos, através da Gestão Pessoal e de Lideranças, pela Mudança de
Comportamentos e Atitudes tanto Pessoais quanto Profissionais.

Comentários

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *