Ubatuba comemora Dia do Imigrante Japonês

A Ilha Anchieta, em Ubatuba, sediou neste sábado, 23, as comemorações ao dia em homenagem aos imigrantes japoneses presos na Ilha Anchieta e contou com a presença do último sobrevivente, Takeushi Hidaka, atualmente com 94 anos. A data foi instituída no calendário oficial do município após aprovação do Projeto de Lei 53/17, de autoria do vereador Osmar Dias de Souza (PSD).
Hidaka foi membro da associação Shindo Renmei, cuja história foi relatada no livro de Fernando Morais e no filme “Corações Sujos”, de 2012, dirigido por Vicente Amorim. Filme e livro contam a prisão e confinamento de 171 imigrantes japoneses no presídio de Ilha Anchieta, de 1946 a 1948, que pertenciam a uma associação secreta chamada Shindo Renmei, que significava “Liga do Caminho dos Súditos”.
Cerca de 40 pessoas, vindas de São Paulo e familiares de presos da época, foram recebidas com um almoço oferecido pelo Ubatuba Iate Clube e logo após partiram rumo à Ilha Anchieta. No Centro de Visitantes da Ilha Anchieta, um dos locais do evento na Ilha, a solenidade foi marcada por depoimentos emocionantes dos familiares e também de Takeushi Hidaka, que contou com ajuda de intérprete.
Houve ainda a cerimônia da recuperação do gerador, que foi consolidado em uma espécie de monumento comemorativo e que agora ficará em exposição no salão. Segundo texto de Shiro Miyasaka (in memorian) na placa afixada agora no gerador, a peça é o símbolo onipresente para a importante tarefa de iluminar as longas noites de solidão nesta Ilha. Shiro era membro da equipe que coordenava as comemorações e faleceu minutos depois de escrever o texto, no dia 27 de julho deste ano, aos 94 anos.
O prefeito de Ubatuba, Délcio Sato (PSD), que participou das comemorações, afirmou que o evento foi um momento de resgate histórico e pediu um minuto de silêncio pelos imigrantes. “Sabemos que muitos passaram por momentos difíceis, mas hoje é um dia de alegria para relembrarmos esses japoneses que fizeram história”. Sato ainda falou sobre a vontade de Ubatuba integrar essa data como parte das comemorações dos 110 anos da Imigração Japonesa no Brasil, que contará com a vinda de uma das princesas da família imperial do Japão. “Vamos trabalhar e pensar juntos em uma grande comemoração para essa data. E isso inicia-se hoje”, afirmou Sato.
Ao final todos seguiram pela antiga usina, bica Shindo Renmei até a praia das Palmas, onde foi relembrada a tradição dos antigos moradores que promoviam cultos voltados em direção ao sol nascente.
O evento foi uma realização da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo), Associação Pró-Resgate Histórico da Ilha Anchieta e Filhos da Ilha, da biomédica Melisa Miyasaka Sakamoto, com apoio da Prefeitura Municipal de Ubatuba. Participaram também das comemorações o vice-prefeito de Ubatuba, Jurandir de Oliveira Veloso (PSD), o vereador Osmar de Souza (PSD), o ex-deputado federal, Mario Yasunori Kunigo, representantes das famílias Yamauchi, Tanaka, Une, Hidaka, Matsumura, amigos de Fuko Ikeda, tenente Samuel Oliveira, coordenador do Grupo Filhos da Ilha, Nelson Assai – presidente da Associação Nipo Brasileira de Ubatuba, Gisele Nóbrega, coordenadora do Parque Estadual da Ilha Anchieta, Carlos Zachi, diretor do Litoral Norte do Instituto Florestal, Anacleto Hanashiro, diretor do Bunkyo, Wagner Salaro, comodoro do Ubatuba Iate Clube, além de secretários municipais. A produtora de gengibre de Ubatuba, Anne Kamiyama, presentou toda a comitiva de japoneses com uma cesta de sua produção “Gengibres de Ubatuba”.
por Carla Tavares -mtb.7244/SP
#OJORNALGRANDEVALE

Comentários

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *