Testemunho da Vida Religiosa marca oitavo dia da Novena da Padroeira

Religiosos da Arquidiocese de Aparecida e de outras cidades estiveram presentes neste dia 08 de outubro, oitavo dia da Novena da Padroeira, para demonstrar seu amor e devoção à Mãe Aparecida no Jubileu de 300 anos.
Com o tema: “Senhora Aparecida, das águas ao acolhimento no amor”, a celebração foi presidida pelo cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo.
Amparado na mensagem do Evangelho, que citava a cura do cego Bartimeu, o cardeal disse que é preciso pedir à Mãe Aparecida para que cure as diversas cegueiras que assolam o coração humano. Ele falou não da cegueira física, mas da que atinge o coração.
“Lembremos dos cegos do coração, dos cegos sem fé em Deus, dos cegos sem moral, capazes de fazer as maiores ofensas ao próximo e a Deus e não sentir nada. É uma grade cegueira, a cegueira moral”, assinalou o cardeal.
Dom Odilo ressaltou ainda que os devotos de Nossa Senhora Aparecida devem demonstrar seu amor a ela mantendo em suas casas, a imagem da Virgem Negra, como exemplo de fidelidade ao próprio Cristo.
“Famílias católicas, não tenham medo de ter a imagem ou um quadro de Nossa Senhora Aparecida em suas casas, como sinal de identidade. Nós somos os discípulos de Jesus e acolhemos conosco a Mãe de Jesus. Maria em nossas casas é sinal de fidelidade ao que Jesus pediu”, enfatizou.
A Vida Religiosa participou, de modo todo especial, da entrada de Nossa Senhora Aparecida. Com a música “I Will Follow him”, que significa, “Eu o seguirei”, a imagem foi introduzida dentro do Santuário Nacional por jovens vestidas com hábitos religiosos. Colocada dentro de um imenso coração, enfeitado com rosas vermelhas, a entrada da Mãe Aparecida causou comoção e lágrimas nos devotos. A homenagem foi ainda mais marcante pela presença dos cantores Rick e Giovani, que cantaram juntos no Altar, a canção “Nossa Senhora Aparecida”.Participou dessa homenagem, a religiosa da Congregação Filhas de São José, da Diocese de Santo Amaro, Iloy Ortegon, que está morando no Brasil há apenas três meses. Ela que veio do México; onde morou toda a sua vida, falou ao A12 sobre a importância do testemunho da Vida Religiosa para a Igreja.
“Devemos oferecer à Igreja, principalmente com nosso testemunho de vida, de dar-nos com todo o nosso amor a Jesus, Ele que verdadeiramente é o centro de nossa vida. Com isso e com nosso trabalho silencioso atrair as pessoas para que renovem a sua fé em Jesus ou queiram conhecê-lo ainda mais”, disse a religiosa.
Irmã Iloy contou ainda que Nossa Senhora, sendo o modelo para a Vida Religiosa a inspira enquanto modelo de mulher da oração. “Ela sempre nos pede a oração de intercessão para aliviar as ofensas que recebe Nosso Senhor, especialmente, na Santíssima Eucaristia, e depois, a intercessão por tantos irmãos que não conhecem Jesus e que talvez se perdem para sempre porque não o encontraram”, refletiu recordando o testemunho dos religioso a exemplo de Jesus que curou o cego Bartimeu.

por Carla Tavares -mtb.7244/SP
#OJORNALGRANDEVALE

Thiago Leon

Comentários

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *